Sinistralidade em Saúde Suplementar é tema de evento nacional inédito em Curitiba

APAMT promove evento inédito sobre sinistralidade em Saúde Suplementar

 De abrangência nacional, encontro será realizado nos dias 13 e 14 de abril, em Curitiba, e é voltado a médicos, CEOs, CFOs, executivos de saúde e de Recursos Humanos. As inscrições já estão abertas

 Em resposta aos grandes desafios enfrentados na saúde suplementar, em que a inflação médica supera largamente a inflação geral de preços, a inovação para sustentabilidade é uma necessidade. Neste cenário, a Associação Paranaense de Medicina do Trabalho (APAMT) irá realizar um evento pioneiro, de abrangência nacional, com abordagem diferenciada, durante os dias 13 e 14 de abril, em Curitiba: o I Encontro Brasileiro de Gestão da Sinistralidade em Saúde Suplementar.

 Entre os temas que serão abordados destacam-se a sustentabilidade dos planos de saúde, sua gestão e tecnologias; estratégias corporativas; perfil populacional e mapeamento epidemiológico; estratégias de investimento em qualidade de vida, saúde e bem-estar com custo-efetividade. Uso de ferramentas de BI; emprego de segunda opinião médica; modalidades de pagamento a prestadores de serviço e resultados(capitation, bundled serviços/P4P, DRG, FFS); machine learning algoritmos para gestão médica e administrativa e Medicina da Família como porta de entrada de casos eletivos em planos de saúde.

 Profissionais de referência no país estarão na capital paranaense para falarem sobre sua expertise nesses e em outros temas, sempre com foco na promoção à saúde, prevenção de doenças e terapêuticas, sem deixar de lado a gestão financeira sustentável. São eles: Alberto Ogata(ABQV), Emmanoel de Souza Lacerda(CNI), Karla Santa Cruz Coelho(ANS), Marcia Agosthi(GE), Henrique Serra(Hospital Alemão Oswaldo Cruz), Paulo do Bem(Unimed Vitória), Patricia Pena(PASA Vale), Gustavo Clark(JLT), Marcelo Ruiter(Suzano Papel e Celulose), José Cechin(FENASAUDE), Luiz Felipe Costamilan(ANAHP), Luiz Carneiro(IESS) e Denise Eloi(ICOS).

 “A gestão da sinistralidade é sempre um desafio para os profissionais que atuam na área, os custos são crescentes e eventualmente se tornam insustentáveis. Buscar modelos e alternativas de gestão mais eficientes, sob vários aspectos, além de sugerir aos participantes os modelos a serem utilizados, tanto em empresas quanto em prestadores de serviço e convênios médicos, é o objetivo desse encontro, que pretende reunir profissionais de diversas partes do país, afinal esse é um problema generalizado”, analisa o presidente do evento e da APAMT, Dr. Guilherme Murta.

 O I Encontro Brasileiro de Gestão da Sinistralidade em Saúde Suplementar  tem apoio da Associação Nacional de Medicina do Trabalho (ANAMT) e Associação Brasileira de Qualidade de Vida (ABQV). Programação e inscrições:https://goo.gl/T99rFH

Serviço:

I Encontro Brasileiro de Gestão da Sinistralidade em Saúde Suplementar

Data: 13 e 14 de abril de 2018

Local: Radisson Hotel, Curitiba, PR

Mais informaçõeswww.apamt.org.br | cientifico@almaeventos.com.br | (41) 3151-0074

 * * *

Bruna Bertoli Diegoli

Assessoria de Imprensa APAMT

Share Button

Hits: 15

Atualização em manejo de Febre Amarela: tudo que você precisa saber

O Conselho Regional de Medicina do Paraná, juntamente com a Secretaria Municipal de Saúde de Curitiba e Secretaria Estadual de Saúde, realizará em 28 de fevereiro, das 20 às 22h, curso de atualização em manejo de febre amarela. A atividade faz parte do programa de Educação Médica Continuada e poderá ser acompanhada presencialmente, no auditório do CRM-PR, ou pela web. É aberto aos médicos, estudantes de Medicina, profissionais da área de saúde e a sociedade de modo geral.

Haverá abordagens de aspectos clínicos e epidemiológicos, vacinas, fluxograma para investigação e notificação de pacientes com suspeita de febre amarela, iniciativas de prevenção e tira-dúvidas geral. As palestras ficarão a cargo da Dra. Marion Burger, médica infectologista do Centro de Epidemiologia da Secretaria Municipal da Saúde, e da Dra. Júlia Valéria Ferreira Cordellini, superintendente de Vigilância em Saúde. O conselheiro do CRM-PR e infectologista Dr. Alceu Fontana Pacheco será o moderador da mesa.

Mais informações e inscrições: https://goo.gl/q9NE5D

Serviço:

Atualização em manejo de Febre Amarela

Data: 28 de fevereiro 2018

Hora: das 20h às 22h

Local: Auditório Raquele Rotta Burkiewicz, Sede do CRM-PR (Rua Victório Viezzer, 84 – Vista Alegre – Curitiba, PR)

Informações: eventos@crmpr.org.br | (41) 3240-4045

Share Button

Hits: 1

130 profissionais do agronegócio debatem sobre tecnologias na produção agrícola em Bagé

Informações sobre o herbicida 2,4-D, manejo de resistência de plantas daninhas e técnicas de aplicação responsável foram os temas abordados

São Paulo, 22 de fevereiro de 2018 – Em evento realizado na noite desta quinta-feira, com apoio da Associação e Sindicato Rural de Bagé, 130 pessoas do município de Bagé e região acompanharam o primeiro treinamento da Iniciativa 2,4-D do ano. Com palestras ministradas peloprofessor da Universidade de Passo Fundo e especialista em manejo de plantas daninhas, Mauro Rizzardi, e o professor da UNESP de Botucatu e especialista em tecnologia de aplicação, Ulisses Antuniassi, os convidadospuderam entender profundamente sobre um dos herbicidas mais utilizados em todo o mundo e uma das principais ferramentas do produtor rural no controle a plantas daninhas. Entre o público estavam, além de produtores, a pesquisadora da Embrapa Pecuária Sul, Fabiane Pinto Lamego,representantes da OAB – Subsecção Bagé (Ordem dos Advogados do Brasil), presidentes dos Sindicatos Agrícolas da região, professores da URCAMP (Universidade da Região da Campanha), estudantes do IDEAU (Instituto de Desenvolvimento do Alto Uruguai), empresários dos setores de insumos e vinícolas, representantes do Condema (Conselho Municipal do Meio Ambiente) e representantes da UFRG (Universidade Federal do Rio Grande do Sul).

A Iniciativa 2,4-D, grupo formado pelas empresas Dow AgroSciences, Nufarm e Albaugh, em parceria com instituições de ensino, tem como principal objetivo disseminar informações técnicas sobre o uso correto e seguro de defensivos agrícolas. “Nossa meta é ampliar cada vez mais o número de treinamentos realizados para que os agricultores levem esse conhecimento para suas atividades, resultando assim em uma agricultura mais produtiva e sustentável”, comenta Jair Maggioni, coordenador da Iniciativa 2,4-D. “Ações como esta têm produzido resultados positivos em todas as cidades por onde passamos, reforçando a mensagem da importância dos cuidados na realização de um manejo sustentável que contribui  para o aumento na produtividade e rentabilidade da lavoura, além de preservar a saúde e o meio ambiente”, complementa.

Para o professor Mauro Rizzardi, as plantas daninhas representam uma ameaça à produtividade no campo, pois geram competição por luz, nutrientes e água com as plantas cultivadas, o que tem impacto direto no resultado da lavoura. “Uma buva por metro quadrado, por exemplo, pode reduzir a produtividade de 4 a 12% – ou seja, pode chegar a até 6 sacos por hectare, o que equivale a uma perda acima de R$ 400″, explica o pesquisador. A perda de produtividade devido à presença de plantas daninhas que não são controladas pode chegar a 40%”, explica.

O papel das boas práticas agrícolas, além da apresentação de aspectos técnicos do 2,4-D, como suas características físico-químicas, situação regulatória, estudos de toxicidade, ecotoxicidade e segurança no campo, também estavam entre os principais temas abordados nos treinamentos, apresentados de forma dinâmica e didática.

“A eficiência da tecnologia de aplicação por meio da correta manutenção e calibração dos pulverizadores no campo, da escolha criteriosa do tamanho de gotas, do volume de calda e da verificação das condições meteorológicas no momento das aplicações, evitando a deriva, ajudam o produtor a otimizar suas operações, reduzindo perdas e melhorando sua produtividade”, reforça o professor Ulisses Antuniassi. “A conscientização destas iniciativas promovem a otimização de recursos, colaborando para a redução do impacto no meio ambiente e conferindo maior sustentabilidade para o agronegócio”, destaca.

Desde 2014, a Iniciativa promove treinamentos sobre 2,4-D e tecnologia de aplicação para produtores rurais, técnicos e operadores em diferentes regiões do país. Até o momento, foram quase 200 eventos em 13 estados do país, capacitando mais de 9 mil profissionais do campo.

Herbicida 2,4-D

Descoberto em 1941, o 2,4-D foi o primeiro herbicida utilizado comercialmente. Hoje, é registrado em quase 100 países e um dos mais pesquisados em todo o mundo, com mais de 40 mil estudos desenvolvidos. Já passou por diversas revisões como na Agência Regulamentadora do Canadá (PMRA), Agência Americana de Proteção Ambiental (EPA), Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), entre outras. Com nesses estudos, governos do mundo inteiro julgaram que o 2,4-D é seguro para a saúde humana quando utilizado em conformidade com rótulo e bula.

No Brasil, tem registro desde a década de 1970. Atualmente, pode ser utilizado para culturas de trigo, milho, soja, arroz, arroz irrigado, cana-de-açúcar e pastagens e é uma importante ferramenta para aumentar a produtividade das lavouras e reduzir custos de alimentos para o consumidor, além de possuir bom custo-benefício.

Sobre a Iniciativa 2,4-D

A Iniciativa 2,4-D é um grupo formado por representantes das empresas Dow AgroSciences, Nufarm e Albaugh, que, com apoio acadêmico, tem como propósito gerar informação técnica sobre o uso correto e seguro de defensivos agrícolas, além de apoiar projetos que abordem esta questão, como o Projeto “Acerte o Alvo – evite a deriva na aplicação de agrotóxicos”, realizado no Paraná. O foco é educar o produtor sobre a importância da utilização correta de tecnologias que garantam a qualidade da aplicação dos defensivos agrícolas. O grupo defende que o uso adequado das tecnologias de aplicação e a precaução para evitar a deriva são essenciais para garantir a eficácia e a segurança ambiental na utilização de defensivos agrícolas. A Iniciativa 2,4-D se apresenta como fonte de informação e esclarecimento, que, apoiada por estudos acadêmicos, visa desmistificar o emprego do 2,4-D. Para saber mais, acesse: www.iniciativa24d.com.br

Share Button

Hits: 5

Vítimas da desinformação

Iro Schünke, presidente do Sindicato Interestadual da Indústria do Tabaco (SindiTabaco)

Em tempos de fake news e de tantas opiniões rasas, a informação é uma arma poderosa. Aprofundar determinado tema antes de emitir opinião parece ético e moral, mas na prática não é o que acontece. A ideologia, em muitas áreas, não dá espaço para a razão. Proponho um exercício: você conhece o setor do tabaco? É possível que já tenha ouvido sobre ele. Mas antes de formar sua opinião, permita-me apresentar alguns fatos.

Pesquisa da UFRGS, de 2016, apontou que enquanto 80% dos produtores de tabaco enquadram-se nas classes A e B, a média brasileira não chega a 22%. E mais, que a renda per capita mensal dos produtores de tabaco é de R$ 1.926,73, bem acima da brasileira, de R$ 1.113,00 (IBGE, 2015). O bom padrão socioeconômico dos produtores de tabaco ficou evidenciado, assim como o alto grau de satisfação em trabalhar no setor (90%).

O Brasil é o 2º maior produtor e o 1º no ranking mundial de exportações de tabaco há 25 anos. O Rio Grande do Sul é responsável por 50% da produção brasileira e o tabaco representa 10% do total de embarques gaúchos anuais. Nosso Sistema Integrado de Produção completa 100 anos em 2018 e prima pela qualidade e a integridade do produto, com assistência técnica e garantia de compra aos produtores, além de um diferencial competitivo: a produção sustentável. Temos servido de modelo para o agronegócio, sendo peça econômica e social relevante para os gaúchos e para o País.

Fomos pioneiros na preservação da Mata Atlântica com um acordo inédito assinado junto ao Ibama. Pioneiros no combate ao trabalho infantil e na oferta de alternativas para os jovens rurais, por meio do Instituto Crescer Legal. Pioneiros em garantir a saúde e segurança do produtor ao desenvolver uma vestimenta de colheita específica e uma coleta itinerante de embalagens vazias de agrotóxicos. Aliás, o tabaco brasileiro é o produto comercial agrícola que menos utiliza agrotóxico. A conclusão não é minha, mas de pesquisas realizadas pela ESALQ/USP e pela UNICA, com base em dados do SINDAG e IBGE.

O exercício termina aqui. O que você ia dizer mesmo?

Share Button

Hits: 5

PAIZANI BUSCA RECURSOS EM BRASILIA ESSA SEMANA

Prefeito com servidores foram a todos os deputados que apoiam Rio Negro

Na terça e na quarta feira desta semana, o prefeito Milton Paizani, com servidores municipais da Educação Jacqueline Souza Cunha e Daniele de Souza e da Cultura e Turismo Kaio Dutra, estiveram em Brasília. A maior parte da agenda foi com deputados federais que representam o município junto ao governo federal, onde foram buscados recursos de emendas para obras e ações em várias áreas. A receptividade foi muito boa com todos os que foram visitados e as perspectivas, segundo o prefeito, são muito boas de verbas futuras. Um dos focos principais junto aos deputados foi à busca de recursos para o Hospital Bom Jesus, que também estava em Brasília através da presidente Jurema Gontarski e funcionários, e que deverá receber verbas para novos equipamentos e ações. Para o prefeito Milton Paizani o saldo foi bastante positivo e boas novas serão apresentadas para Rio Negro e toda população para o orçamento de 2018. “Essas viagens unicamente de trabalho a Brasília são importantes para buscar recursos para o município e também mostrar à nossa população os deputados que realmente ajudam Rio Negro e nossa gente”, disse Paizani.

PREFEITURA DE RIO NEGRO ADQUIRIU MAIS UM ÔNIBUS ESCOLAR

Desde que assumiu em 2013 essa gestão já adquiriu 10 ônibus novos

Foi concluída a licitação essa semana para compra de mais um ônibus escolar, com este a gestão Milton Paizani/Professor James chega a dez ônibus escolares adquiridos desde que assumiu em janeiro de 2013. Isto nunca aconteceu na história rionegrense e é muito comemorado pela área da educação do município. O novo ônibus será adquirido pelo valor de R$ 234.000,00 numa parceria da prefeitura, através da Secretaria Municipal de Educação, e o Governo do Paraná com apoio da deputada estadual Mara Lima e o ônibus poderá transportar até 4 cadeirantes com suas cadeiras de rodas. Mesmo com toda essa renovação da frota, são necessárias terceirizações de algumas linhas do interior para empresas de ônibus, que algumas vezes não mantém a qualidade que é dada pelo transporte próprio da prefeitura. Em razão disso, essa semana o prefeito Milton Paizani nomeou uma comissão permanente de fiscalização e acompanhamento da frota terceirizada do transporte escolar, composta por três servidores da área de transporte, que irá monitorar a qualidade e segurança dos ônibus de empresas particulares que transportam nossas crianças. Para o prefeito o conforto e segurança de nossos alunos e servidores é prioridade, por isso a busca por novos ônibus é constante nessa gestão. “Já adquirimos dez ônibus escolares em nossa gestão, mas queremos que as empresas terceirizadas particulares também garantam isso aos nossos alunos e servidores municipais que utilizam esse transporte, pois pagamos o serviço rigorosamente em dia”, disse Paizani.

 

Share Button

Hits: 3